terça-feira, 15 de outubro de 2002

Marca do Governo do Brasil - Governo Federal - Poder Executivo - Collor e Itamar

Para quem precisar, por motivos de estudo sobre o governo republicano do Brasil após as eleições diretas de 1989: as marcas do Governo do Brasil - Poder Executivo, Governo Federal - dos mandatos dos presidentes liberais Fernando Collor de Mello (1990-1992) e  Itamar Franco (1992-1994).
Redesenhei as assinaturas com base em pequenas amostras em anúncios impressos em revistas.

Por qual motivo redesenhei estas assinaturas: elas mostram o Brasil em seu símbolo gráfico maior, a Bandeira Nacional. Nestas assinaturas a Bandeira figura de modo prontamente reconhecível. 
Pessoalmente, eu julgo que essas assinaturas visuais conotam e denotam muito bem o conceito de Brasil, crescimento, progresso, crescimento. A marca do governo do Presidente Collor comunica jovialidade e movimento. A marca do governo do Presidente Itamar Franco denota monumentalidade. 

As duas assinaturas comunicam sentido ascendente (uma seta para cima).
Itamar Franco, um mineiro, adotou muito bem o símbolo do triângulo que remete à bandeira de Minas Gerais.



Identificação gráfica do Governo do Presidente Itamar Franco (Itamar Augusto Cautiero Franco), aquele Presidente que colocou em prática o Plano Real:




Essa assinatura foi redesenhada o mais fielmente possível, inclusive com os problemas de espacejamento entre as letras. A fonte tipográfica empregada originalmente foi a Univers black.





Assinatura gráfica do Governo do Presidente Fernando Collor de Mello (aquele governo que mexeu nas poupanças dos brasileiros!):







A fonte tipográfica empregada originalmente foi a Helvetica black, com ajustes no desenho do pingo do "i" e no "r" do nome "Brasil", pelo o que eu pude perceber.


Peço desculpas: a) não sei quem foram os designers dessas marcas, quero saber! e b) por imperfeições no desenho, mas o fato é que as amostras tomadas como referências eram muito diminutas. Fiz o trabalho que foi possível com muito carinho e me entreti recriando essa parte da memória visual dos brasileiros.